A primeira impressão, na maioria dos casos, é realmente a que fica. O consumidor pode ter uma das melhores experiências de sua vida em um restaurante, hotel ou bar, mas se houver um detalhe incômodo, todo o esforço do estabelecimento em tornar única a visita do cliente terá sido em vão.

A diferenciação no atendimento começa com ações básicas, desde o momento em que o consumidor chega ao local. O detalhe – que muitos empreendedores esquecem – é que a boa receptividade vai além de gestos importantes como sorrir e cumprimentar, e inclui a atenção e a agilidade ao acomodar o cliente e apresentar o local caso seja sua primeira visita.

Pontos-chave, como a personalização e a proatividade para não apenas sanar, mas antecipar as dúvidas que podem surgir, ajudam na missão de mostrar ao consumidor que o estabelecimento está focado em atendê-lo da melhor forma possível. Construir uma relação de confiança para satisfazer as expectativas do cliente, para que ele queira retornar sempre, torna a experiência especial.

Mas é necessário medir a dose da proficiência para, na tentativa de ser prestativo, não se tornar inconveniente para quem só deseja aproveitar o tempo em um lugar agradável. As boas práticas estão sendo replicadas para que o consumidor tenha cada vez menos motivos para reclamar, seja na entrada, durante a experiência ou no momento de ir embora. Se tudo for feito corretamente, o adeus com certeza se torna um até breve.

Por José Worcman